Porque uso o Gnome e não o XFCE (infelizmente / ou não :/ ).

março 27, 2011 § 2 Comentários

Bom galera, não sou muito de discutir gostos e interesses com ninguém, mas sempre fui à favor da utilização e preferência do Sistema Operacional Linux. Minha visão quando questionada sobre software, é que deveria ser livre. Assim como somos livres para fazer o que bem entender-mos (desde que sem desrespeitar/agradir ninguém – e outras opções às quais você pode encaixar aqui), sempre desejei que fossê-mos livres para utilizar-mos o Software da forma como quiser-mos.

Já havia mexido com Linux há um bom tempo, mas na época não dei tanta atenção, pois ainda estava na fase dos Jogos de PC. Lembro que interessei mesmo à mexer com Linux, quando conheci o Ataliba em um dos locais de trabalho que já colaborei. Se não me engano, isto fora em 2003. Desde então, voltei a usar o sistema com afinco, entender a GPL e afins…

Bom, não estou aqui para falar que você deve usar Linux ou não, ou qual interface de trabalho deve utilizar. Simplesmente quero colocar aqui o motivo de minha preferência ao Gnome.

  • Hoje não estamos mais utilizando máquinas que não têm a capacidade que temos hoje. É muito legal utilizar ambientes como o WindowMaker, XFCE e derivados, pois são bem simples, e mesmo aquela máquina que não tinha mais do que 128 MBRam, irá rodar numa boa. E também para quem não gosta de frescurices, pois, convenhâ-mos: KDE e Gnome tem coisa demais para um usuário normal. Um Admin então, não vai chegar a utilizar tantas coisas…
  • Mesmo o sistema gráfico mais leve que você utilizar, fará no final o que você precisa. O que você precisa é só de que a ‘tarefa’ seja executada! Nada mais!
  • Para quem está acostumado a muito tempo com um ambiente gráfico, mudar é meio ‘penoso’. Certos costumes então, para mudar, é barra.
  • Entretanto, de nada adianta você ter uma máquina parruda, cheia de recursos, se você estará utilizando um sistema bem leve e que não irá ‘arrancar’ mais recursos dela. Tudo bem se você estiver trabalhando em cima de um servidor, onde todo esforço para liberar recursos adicionais da máquina é uma boa. Mas para um usuário doméstico, que está alí assistindo algum filme, ou programando, nada mal deixar um ambiente gráfico que ‘coma’ mais recursos, já que ele terá hardware equivalente para suprir aquilo.

Resumindo: Gosto do XFCE, do Gnome (do KDE não!) e derivados, mas meu gosto está mais para Gnome do que XFCE. Motivo? As facilidades dele me atraem mais do que o XFCE. Exemplo:

Conectar em um compartilhamento do Windows. Tudo bem que isto é fácil, pelo smb você vai no terminal e pronto. Batata. Mas… não é sempre que eu vou querer, entrar no terminal e fazer o comando. Posso até fazer um script, um double-click na área de trabalho e pronto. Mas eu quero de um jeito só, DAMMIT!!!

Outra questão: Compatibilidade. Posso até ser pregado pelos pés agora, mas ao executar um ambiente de trabalho e usar ferramentas que são de outros ambientes, vira e mexe da um crash do caramba… Para quem gosta de debugar as coisas, é ótimo. Mas eu já to passando da época de esquentar a cabeça. Quero algo que eu não me preocupe. Não quero algo Windows-Like, que vive dando bug cada vez mais sombrio. (Sim, cambada de chupa-saco do Ballmer, eu uso Windows, e o Vista, mas há uma diferença entre usar por querer, e usar por ainda estar em um ambiente onde algumas ferramentas não tem como sair).

Um exemplo: O próprio Windows. Na época do XP, com aquela interface, no início também dava problema e era pesada. Com o Vista então, nem se fala. O 7? Bom, ele é o Vista com menos problemas mais enxuto, e com maior compatibilidade.

Se hoje, você apresentar a um usuário o Windows 7, ele pega logo logo, mas uma interface estilo Windows 98? Por ser quase a mesma coisa, ele ainda vai dar umas ‘pensadas’.

Isto pode ser só a minha opinião. Afinal, é o meu uso que influencia meu rendimento diário. Até próximas atualizações, se outros ambientes se tornarem mais compatíveis e um pouco mais fáceis, com certeza mudaria.

É isto aí, até logo.

§ 2 Respostas para Porque uso o Gnome e não o XFCE (infelizmente / ou não :/ ).

  • Ataliba disse:

    Eu ainda sou XFCE pelos motivos que você falou que não lhe agradam.

    Apesar de ter mudado um pouco meu perfil, ainda sou meio fuçador demais e o próprio Fedora já anda começando a ficar um pouco massante para mim.

    Mas o Gnome, caso eu mudasse do XFCE seria minha opção … ele é melhor que o KDE nos quesitos de usabilidade.

    • O XFCE é um excelente ambiente, eu é que não consigo me adaptar.
      Talvez já esteja ficando um pouco cansado de ficar quebrando a cabeça com muita coisa, e como fiquei um bom tempo também quando usava o Fedora com o Gnome, que voltar para o XFCE foi meio difícil. Quando eu usava o Slackware, era só o XFCE que me interessava. E também, quando precisava de mais recursos disponíveis alocados para outras tarefas.
      Sei lá, eu acredito que esteja criando resistências, mas quando estiver mais tranquilo, tentarei denovo hahahahah! Lado nerd não fica quieto!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Porque uso o Gnome e não o XFCE (infelizmente / ou não :/ ). no De tudo um pouco (da vida do Gustavo)...

Meta

%d blogueiros gostam disto: