Senhor, agradeço à ti pela capacidade de ser preconceituoso! [ironic mode on]

setembro 16, 2010 § Deixe um comentário

Sério… O título está certo. Quem me segue já sabe que sou ateu, infelizmente nasci cristão/católico mas por mim morrerei ateu mesmo! Hoje durante o trabalho, recebo um email de um parente com o seguinte conteúdo:

« Leia o resto deste post »

Anúncios

Eu prefiro ser..

maio 9, 2010 § Deixe um comentário

Eu prefiro ser um profissional na minha área, ganhando o que é justo pela profissão do que aqueles que não trabalham na área desejada, mas não fazem por merecer o emprego e ganha muito mais daquilo que merece.
Eu prefiro ser aquele cara com a cabeça cheia de problemas, mas que aproveita a vida do que aquele que não tem coisas a pensar mas só faz bobagem;
Eu prefiro ser o cara que procura e traz a paz para uns aos outros, do que aquele que incita a briga e a violência;
Eu prefiro ser aquele que ama tudo e todos, sem discriminação racial ou étnica, ou religiosa, do que aqueles que só sabem torcer para o time deles..

Eu prefiro ser aquele que gosta do meu estilo de música (que por sinal é feita com qualidade) do que gostar das músicas atuais mas sem conteúdo, e tentar agradar aos outros.

Eu prefiro ser aquele que, mesmo que não gosta de futebol, acha importante que o melhor é competir do que fazer revoltas quando o time perde ou fica gozando com o pau dos outros quando um time (pelo qual ele não torce), ganha de seu rival (Isto é para vcs Marias da Galoucura).

Eu prefiro ser aquele que respeita os ideais e as vontades dos outros, do que aqueles que infligem o respeito do próximo;
Eu prefiro ser aquele que carrega os meus ideais por que acho importante utilizar a lógica para a vida, tanto social, ou amorosa, do que utilizar um livro cheio de regras onde todos tentam ‘forçar’ a mente humana de que um ser que até hoje não foi provado se existe ou não, que aquele livro é a regra absoluta.

E o mais importante:
Eu prefiro ser aquele que tenho minhas opiniões e escolhas próprias, tento ser livre, tanto no corpo como na mente, do que aquele que tenta converter uns aos outros, sem respeitar o livre arbítrio que tanto fala nas religiões.

Quando a Cegueira Religiosa se torna demais…

janeiro 4, 2010 § 2 Comentários

Bom… Já tem um bom tempo pra cá que minha cabeça mudou para melhor, enchergando as coisas com mais clareza, tendo sabedoria de tomar decisões melhores e mais tranquilas. Habilidade de decidir o meu futuro e planejá-lo. Saber respeitar meus limites e os limites dos outros, inclusive, saber me respeitar e aos outros também. Infelizmente, nem sempre isto é recíproco (é claro, afinal, se um dia todos respeitarem a si mesmos e aos outros, na minha opinião será quando todos estiver-mos mortos – isto nunca irá acontecer).

E já vou avisando: Ninguém é obrigado a ler isto, assim como não sou obrigado a escutar estas coisas também. Se não gostou, o Alt+F4 é muito bem vindo.

Já se é de conhecimento (pelo menos no “Sobre o Autor” desta página fala, item 7) sou ateu. O que significa que sempre fui isto, mas se eu pudesse escolher, seria somente isto. Venho de uma família Católica, convivo com amigos Evangélicos, Batistas, Católico e Ateus. Já tive conversas sobre ‘religião’ com todos, e os melhores pelos quais já conversei, foi com Ateu (não por ser da mesma linha de raciocínio, mas porque tinha uma mente menos presa ao determinado assunto, então o tipo de resposta nem sempre era aquele enjoado – Porque Deus quis assim – e também raciocinavam melhor) e com Católico, mas como não estou aqui para falar mal das pessoas e sim, discutir o seguinte:

_Em que ponto da liberdade da pessoa não é passar da liberdade da outra pessoa? E quando a pessoa está passando a liberdade que ela tem para com a gente? O que fazer?

Convivo com pessoas que acreditam em Deuses. Minha família acredita em um, pessoas queridas por mim acredita em um Deus, nunca fui de acreditar nisto, e sinceramente, nem tento mudar a cabeça da pessoa que tem suas crenças. Mas como não tenho este tipo de crença, não gosto de escutar. Entretanto, respeito. Isto é, por mim não tem problema acreditar em coisas que eu não acredito, em Deuses que eu não acredito. De fato, não sou contra acreditar em religião, mesmo que para mim, não exista. É saber dar liberdade para a pessoa ter sua opinião. Mas como disse antes, se não acredito, não gosto de escutar. E já que esta é a minha opinião, também não irei sair falando para outros que toda essa baboseira que é para mim não existe, nunca existiu e nem existirá. Seria ser egoísta demais.

Agora, uma coisa que não concordo mesmo, é escutar, ler ou ver que a solução para algumas determinadas pessoas é esse Deus que para mim nunca existiu. Sério, não existe nada mais enjoado do que conversar com estas pessoas que acham que para todas as respostas é Deus e pronto. Isto se determina a Cegueira Religiosa, isto é, independente para qualquer dúvida, a resposta é Deus e pronto. Aceite de boca calada e sem perguntar. Isto para mim não funciona. Respostas nem sempre são tão simples assim, tem o lado da ciência e da razão para qual existem, ou pelo tal fato aconteceu. E existe também a possibilidade (claro!) de que tal coisa tenha acontecido não por intermédio de religião, e sim, o acaso.

Pessoas que seguem alguma religião aí, será que é tão dificil enchergar isto? Será que é tão difícil respeitar (pode não ser aceitar) a opinião do outro, e pensar na mínima possibilidade que ele esteja certo? Porque a verdade que vocês tanto acreditam é a única e verdadeira? Será que a cegueira religiosa é tão grande que seus cérebros já atrofiaram?

Evangélicos querem que Microsoft mude o atalho para salvar documentos de CTRL+S para CTRL+J

dezembro 13, 2009 § Deixe um comentário

Quer saber porque eu acho que o evangélico é o tipo de Cristão que faz mais merda??? Olha aí:

Evangélicos querem que Microsoft mude o atalho para salvar documentos de CTRL+S para CTRL+J

Segundo o folhetim evangélico americano Moses Cradle Board News um abaixo assinado está circulando por diversas igrejas dos Estados Unidos pedindo para a Microsoft que a mudança da tecla de atalho para salvar documentos, o atual ctrl+s, mude para o ctrl+j.

A justifica dos evangélicos é que o J deve salvar, pois só Jesus Salva e também que o S é a letra inicial de Satã. “Há cada vez um número maior de evangélicos ingressando no mundo da informática e é interessante a personalização do produto para agradar esse nicho novo do mercado” explicou o consultor em informática Arnold Hadley.

Os líderes de diversas igrejas americanas defendem a mudança e afirmam que não se trata de fanatismo religioso. Segundo consta no trecho que justifica o abaixo assinado, a adoção da nova tecla de atalho significa “Uma homenagem ao Todo Poderoso e uma forma de lembrarmos, em nossos corações e reforçar em nosso subconsciente a importância de Jesus em nossas vidas”.

O reverendo Al Green apoiou a causa “Eu acredito que só Jesus salva e por isso a mudança é importante. Precisamos extinguir Satanás de nossas vidas, inclusive nas pequenas coisas” justificou.

Já para o diretor de relações públicas da Microsoft, Ronald Sailog, a história não condiz com a realidade, mas pode ser uma oportunidade de negócio “Eu não acredito realmente que eles pensem em uma ligação da Microsoft com Satã, é claro que o S é salvar. Mas nós analisaremos e talvez poderemos criar um versão gospel do Office, Já que há milhões de cristãos que utilizam computadores pessoais. É um mercado que não inclui somente evangélicos, e sim todos que acreditam em Jesus de alguma forma” relatou.

Por enquanto o abaixo assinado segue pelas igrejas, e uma posição oficial da Microsoft sobre a iniciativa popular só deve acontecer assim que o documento for recebido.

Fonte: Bobagento

—————————-

Opinião pessoal:

Se for deixar o mundo à comando deles, ou de qualquer outro que façam merdas assim, voltaremos à Idade da Pedra, reinventando a roda. Eles acham que as menores coisas influenciam tanto. De início de conversa, Ctrl + S é o Atalho para Salvar (Save em Inglês), que relação isso teria com Satan? Claro, a não ser que eles queiram que seja assim. Ignorância tem limite, e essa passou kilômetros…

E outra, se realmente forem lançar uma versão gospel do Office ( bom, eu não uso ), mas me sinto no direito então de que lancem uma versão Demo do Office. Onde sempre que salvar um documento  Alguém fale um “Welcome to Hell”, ou toque uma música do Slayer.

Pronto. Tenho dito.

Carta aberta dos Ateus ao Presidente

setembro 1, 2009 § Deixe um comentário

Mais um dia sem fazer nada, mas achei uma coisa muito interessante que o nosso ‘querido’ Presidente, deveria ler com muita atenção… Na minha opinião, não vai surtir efeito, já que eles só olham uma forma de fazer o bolso deles ficarem mais gordo, mas… não custa tentar.

Post Original: AQUI

Retirei: DAQUI

Caro presidente,

o senhor chegou ao poder carregado pela bandeira de uma sociedade mais justa e mais inclusiva. O uso da palavra “excluídos” no vocabulário das políticas públicas tem o mérito de nos lembrar que as conquistas de nossa sociedade devem ser estendidas a todos, sem exceção. Sim, devemos incluir os negros, incluir as mulheres, incluir os miseráveis, incluir os homossexuais. Mas, presidente, também é preciso incluir ateus e agnósticos, e todos os demais indivíduos que não têm religião.

Infelizmente, diversas declarações pessoais suas, assim como políticas do seu governo, têm deposto em contrário. Ontem mesmo o senhor afirmou que há “muitos” ateus que falam sobre a divindade da mitologia cristã quando estão em perigo. Ora, quando alguém diz
“viche”, é difícil imaginar que esteja pensando em uma mulher palestina que se alega ter concebido há mais de dois mil anos sem pai biológico. Algumas expressões se cristalizam na língua e perdem toda a referência ao seu significado estrito com o tempo, e esse é o caso das interjeições que são religiosas em sua raiz, mas há muito estão secularizadas. Se valesse apenas a etimologia, não poderíamos nem falar “caramba” sem tirar as crianças da sala.

Sua afirmação é a de quem vê “muitos” ateus como hipócritas ou autocontraditórios, pessoas sem força de convicção que no íntimo não são descrentes. Nós, membros da Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos, não temos conhecimento desses ateus, e consideramos que essa referência a tantos de nós é ofensiva e preconceituosa. Todos os credos e convicções têm sua generosa parcela de canalhas e incoerentes; utilizar os ateus como exemplo particular dessas características negativas, como se fôssemos mais canalhas e mais incoerentes, é uma acusação grave que afronta a nossa dignidade. E os ateus, presidente, também têm dignidade.

Duas semanas atrás, o senhor afirmou que a religião pode manter os jovens longe da violência e delinqüência e que “com mais religião, o mundo seria menos violento e com muito mais paz”. Mas dizer que as pessoas religiosas são menos violentas e conduzem mais à paz é exatamente o mesmo que dizer que as pessoas menos religiosas são mais violentas e conduzem mais à guerra. Então, presidente, segundo o senhor, além de incoerentes e hipócritas, os ateus são criminoso e violentos? Não lhe parece estranho que tantos países tão violentos estejam tão cheios de religião, e tantos países com frações tão altas de ateus tenham baixíssimos índices de criminalidade? Não é curioso que as cadeias brasileiras estejam repletas de cristãos, assim como as páginas dos escândalos políticos? Algumas das pessoas com convicções religiosas mais fortes de que se tem notícia morreram ao lançar aviões contra arranha-céus e se comprazeram ao negar o direito mais básico do divórcio a centenas de milhões de pessoas. Durante séculos. O mundo realmente tinha mais paz e menos violência quando havia mais religião? Parece-nos que não.

A prática de diminuir, ofender, desumanizar, descaracterizar e humilhar grupos sociais é antiga e foi utilizada desde sempre para justificar guerras, perseguição e, em uma palavra, exclusão. Presidente, por que é que o senhor exclui a nós, ateus, do rol de
indivíduos com moralidade, integridade e valores democráticos?

No Brasil, os ateus não têm sequer o direito de saberem quantos são. O Estado do qual eles são cidadãos plenos designa recenseadores para irem até suas casas e lhes perguntarem qual é sua religião. Mas se dizem que são ateus ou agnósticos, seus números específicos lhes são negados. Presidente, através de pesquisas particulares sabemos que há milhões de ateus no país, mas o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, que publica os números de grupos religiosos que têm apenas algumas dezenas de membros, não nos concede essa mesma deferência. Onde está a inclusão se nos é negado até o direito de auto-conhecimento? Esse profundo desrespeito é um fruto evidente da noção, que o senhor vem pormenorizando com todas as letras, de que os ateus não merecem ser cidadãos plenos.
Presidente, queremos aqui dizer para todos: somos cidadãos, e temos direitos. Incluindo o de não sermos vilipendiados em praça pública pelo chefe do nosso Estado, eleito com o voto, também, de muitos ateus, que agora se sentem traídos. Presidente, não podemos deixar de apontar que somente um estado verdadeiramente laico pode trazer liberdade religiosa verdadeira, através da igualdade plena entre religiosos de todos os matizes, assim como entre religiosos e não-religiosos de todos os tipos, incluindo ateus e agnósticos. Infelizmente, seu governo não apenas tem sido leniente com violações históricas da laicidade do Estado brasileiro, como agora espontaneamente introduziu o maior retrocesso imaginável nessa área que foi a assinatura do acordo com a Sé de Roma, escorado na chamada lei geral das religiões.

Ambos os documentos constituem atentado flagrante ao art. 19 da Constituição Federal, que veda “relações de dependência ou aliança com cultos religiosos ou igrejas”. E acordos, tanto na linguagem comum como no jargão jurídico, são precisamente isso: relações de aliança. Laicidade, senhor presidente, não é ecumenismo. O acordo com Roma já era grave; estender suas benesses indevidas a outros grupos não diminui a desigualdade, apenas a aumenta. Nós não queremos privilégios: queremos igualdade e o cumprimento estrito da lei, e muitos setores da sociedade, religiosos e laicos, têm exatamente esse mesmo entendimento.

Além de violar nossa lei maior, a própria idéia da lei geral das religiões reforça a política estatal de preterir os ateus sempre e em tudo que lhes diz respeito como ateus. Com que direito o Estado que também é nosso pode ser seqüestrado para promover qualquer religião em particular, ou mesmo as religiões em geral? Com que direito os religiosos se apossam do dinheiro dos nossos impostos e do Estado que também é nosso para promover suas crenças particulares? Religião não é, e não pode jamais ser política pública: é opção privada. O Estado pertence a todos os cidadãos, sem distinção de raça, cor, idade, sexo, ideologia ou credo. Nenhum grupo social pode ser discriminado ou privilegiado. Esse é um princípio fundamental da democracia. Isso é um reflexo das leis mais elementares de
administração pública, como o princípio da impessoalidade. Caso aquelas leis venham de fato integrar-se ao nosso ordenamento jurídico, os ateus se juntarão a tantos outros grupos que irão ao judiciário para que nossa lei não volte ao que era antes do século retrasado.

Presidente, será que os ateus não merecem inclusão nem em um pedido de desculpas?

E então… Quando foi que tudo começou mesmo? Parte 1

junho 28, 2009 § Deixe um comentário

Ano de 2009, muitas coisas já aconteceram em nossas vidas. Várias revoluções, conhecimentos sendo ampliados, tecnologias sendo inovadas. O homem de hoje (generalizando, isto é, homem e mulher) não são os mesmos de 100 anos atrás. Nem 10 anos, nem 1 ano.  Nossas vidas estão passando por uma mudança do tipo turbulenta, onde o conhecimento, fatos, mitos, tudo está sendo provado, caso estão corretos ou não. Se o que nós pensávamos ser realmente é aquilo que é, ou se um determinado fato, ou uma verdade que  persiste há tempos, na verdade não passa da mais pura balela.

Se várias coisas que conhecemos estão sendo testadas para ver se realmente são verdades ou não, porque velhas questões, como:

  1. O que veio primeiro, o ovo ou a galinha?
  2. Deus criou a Terra?
  3. Existe mesmo um Deus?
  4. Se existe um Deus, qual religião é a verdadeira?
  5. Porque somos o que somos, e não uma forma de vida mais inteligente, com mais braços, pernas e olhos? (exemplificando: Futurama 😀 )
  6. E por outras questões, que pretendo colocar aqui para estudar-mos mais a fundo.

Vejamos, estamos no ano de 2009, vivemos em um país que foi criado com base no Catolicismo, ou até então pensamos assim, visto que o que mais temos hoje no mundo, são os seguidores Cristão/Católico, mas temos variações, como Protestantes, Evangélicos, Crentes… e na teoria, todas pregam que foi Deus que criou a Terra.

Agora, cá entre nós, se ele criou a Terra, como foi que ele fez isto? Geralmente, a resposta que mais ouvi foi que:

“Porque Deus quis.”

Pô, perai. Tudo bem, ele quis, mas somente porque ele quis?

Isto não basta. Tem que ter uma explicação melhor. Não querendo criticar nenhuma religião (pois o meu interesse, como já disse antes não é este, e sim, argumentar). Vamos estudar um pouco as teorias de como o Planeta Terra veio ao seu surgimento, pois ao contrário da religião, a ciência está disponível a ser discutida e provada/quebrada, já que religião não permite isto.

TEORIA DO BIG BANG:

Apesar da existência de diversas teorias, ninguém sabe precisamente como o Universo se formou. O interesse pelo Universo e, principalmente, pela sua origem faz parte da história humana, grandes pensadores e estudiosos observavam atentamente o céu com o objetivo de buscar entender os seus mistérios.

https://i1.wp.com/www.crystalinks.com/bigbang2.jpg

Desde os primórdios da civilização até os dias atuais surgiram inúmeras explicações e teorias para essa questão, no entanto, nenhuma consegue apresentar respostas conclusivas.

Mesmo com a existência de um arsenal tecnológico que fornece importantes informações para os estudos e pesquisas astrofísicas, ainda não se alcançou resultados precisos em relação à formação do Universo. Diante dessa incógnita, a explicação mais razoável para esse processo é a teoria do Big Bang – nome dado à teoria que tenta explicar o surgimento do Universo; perante a classe científica, é a mais aceita.

Essa teoria foi constituída por um grupo de astrônomos e físicos na primeira metade do século XX. De acordo com a teoria do Big Bang, há cerca de 15 bilhões de anos o Universo teria se formado a partir de uma gigantesca explosão. Antes desse processo, toda matéria e energia se encontravam concentradas como uma quente e densa esfera, constituída por hélio e hidrogênio. Desse modo, com a suposta explosão, a energia liberada expandiu as matérias e formou o Universo.

Essas informações estão pautadas na teoria do Big Bang, contestada por muitos, uma vez que não é capaz de explicar o motivo da repentina explosão.

Fonte: http://www.brasilescola.com/geografia/big-bang.htm

De certa forma, ainda há dúvidas sobre o surgimento da Terra. Bom, não só da Terra, e sim do Universo todo. Procurando em outras páginas, como por exemplo, a Wikipedia, podemos ver que a ciência o tenta explicar de forma mais detalhada. Por exemplo, a métrica de Friedman-Lemaître-Robertson-Walker ou modelo FLRW é uma solução exata das equações de campo de Einstein da relatividade geral, descreve um Universo em expansão ou contração, homogêneo e isótropico.

Forma da métrica:

A métrica FLRW inicia com a suposição de homogeneidade e isotropia. Também assume que o componente espacial da métrica pode ser dependente do tempo. A métrica geral que cumpre estas condições é:

\mathrm{d}s^2 = -\mathrm{d}t^2 + {a(t)}^2 \left( \frac{\mathrm{d}r^2}{1-k r^2} + r^2 \mathrm{d}\theta^2 + r^2 \sin^2 \theta \, \mathrm{d}\phi^2 \right) [1]

Onde k descreve a curvatura e é constante no tempo e a(t) é o fator de escala e é explicitamente dependente do tempo e as unidades naturais são utilizadas estabelecendo a velocidade da luz à unidade. As equações do campo de Einstein não se utilizam desta solução: a métrica se obtém das propriedades geométricas de homogeneidade e isotropia. A forma específica de a(t) necessita conhecer as equações do campo e a definição da equação de densidade de estado, ρ(a).

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A9trica_de_Friedmann-Robertson-Walker

Nota-se que, como estamos falando de tempo, tudo isto ainda pode estar acontecendo. Imagina-se que, em um determinado momento (por exemplo, o agora) o mundo pode estar se expandindo, e pode chegar em um momento que ele pode parar a expansão, como também pode se comprimir. Um exemplo que cito, é a bomba de Hiroshima.

Vamos dizer desta forma: praticamente tudo (se não tudo) é atomo. O Big Bang foi uma colisão de átomos, que causou a primeira fase da expansão do universo, certo? Comparando o Big Bang e a bomba de Hiroshima, mas em tempos diferentes, a bomba de Hiroshima teve sua colisão de átomos, onde a mesma se expandiu, e com esta expansão, provocou vários efeitos diferentes no local de impacto. Como por exemplo, chuvas, temperaturas altas, e por aí vai. Após a explosão, ela se comprimiu (claro, não levando o que ela possuia. Talvez o efeito da mesma não era exatamente este, ou talvez por falta de força gravitacional), e deixou apenas os rastros de sua explosão. Considerando a diferença de tempo, mas levando em conta que o início do surgimento do Universo, isto é, o Big Bang, pode ter tido um processo parecido com a da explosão da bomba de Hiroshima, em tempos futuros, pode acontecer algo parecido com o efeito da mesma.

É estranho este raciocínio? Sim. Me deixa muito pensativo, e me leva a questionar, mesmo este sendo o modelo mais próximo do que fez o efeito do surgimento do Universo, é o mais próximo. E como se baseia em ciência, ela está disposta e pronta para ser questionada, podendo ser aprovada, ou quebrada. Entretanto, ela está aberto a perguntas e sugestões (desde que o individuo conheça o assunto, e esteja disposto a realizar testes e experimentos), ao contrário de muitas coisas que vemos pelo mundo..

Opinião pessoal: Como uma pessoa cética, auto-didata e interessada por tudo que acontece em nossa volta, acho interessante conhecer estes assuntos. Mas vamos refletir um pouco: Se caso isto realmente for a única verdade comprovada, e descartar a história que várias Bíblias escritas pelo homem tenta pregar que foi um Deus que criou este Universo… As pessoas estarão prontas para este choque? Não será, um dos motivos de ser ‘ensinado’ pelas religiões de que o Universo foi criado desta forma, para não entrar em choque a mente das pessoas?

OBS: Gostaria de lembrar, que não sou físico, nem químico, e também não mexo na parte de Biologia. Entretanto, leio de tudo um pouco, e se não estudasse a parte de exatas, com certeza teria iniciado minha carreira na parte de física. Muito legal.

Como se demonstra que não entende de nada do assunto (Religião tentando condenar Tecnologia)

junho 14, 2009 § 2 Comentários

De vez em quando, a gente esbarra em algo que não dá para ignorar.

Estava navegando na Internet, e vi um post do próprio wordpress.com, sobre um pastor falando que produtos da Big Apple (do tio Steve Jobs) são produtos do diabo.
Não, você não leu errado, o cara realmente falou isso e aconselhou a todos, que tiverem estes produtos, a jogar fora, e avisar aos entes e amigos, sobre o mal que estão correndo (perai, que mal é este?).
De acordo com o blog do excelentíssimo, tudo começou quando uma Sra. foi procurá-lo, devido a problemas que o filho mais velho estava tendo, sobre questões financeiras. O cara estava sempre com o celular mais top de linha, com equipamentos mais modernos, e estava entrando em sérios problemas devido a isto, sempre pedia dinheiro emprestado de sua mãe, e em um dia, quando a mãe decidiu não emprestar o dinheiro, o querido filho ficou furioso e desligou o celular… O sr. Pastor, ao tentar entender o problema, questionou à mãe do rapaz, qual era a marca do aparelho. Ela o descreveu como uma maçã, e assim, tudo começou a ficar mais claro (para eles, claro).
O cara associou a imagem da maçã da Apple (faltando um pedaço), com a tal de Adão e Eva, falando que a maçã é fruto do pecado original. (resumindo, mais merda vindo).

apple-logo

Apple

E que a Apple (do tio Steve Jobs), foi fundada em 1945 por uma seita Satânica nos Estados Unidos (isso tem cara de filme thriller/cereal killer), e somente em 1976 se tornando pública, quando foi assumida por Steve Jobs.

Steve Jobs em palestra sobre o Iphone 3G

Steve Jobs em palestra sobre o Iphone 3G

Cara, isto é a maior marmelada que já vi até hoje. Culpar o crescimento de uma empresa, ou o estado bem-sucedido de um indivíduo devido a um produto que o mesmo desenvolveu ( e deu aquele big BOOM), ou por várias pessoas estar adquirindo, estar associado à imagem do diabo. Isto nada mais que é moda. E todos os aborrescentes (ou pelo menos a maioria), gosta é disto.

“Ta na moda? Opa, vou la comprar.”

A maioria de meus amigos sabem, sou ateu. Fui batizado na igreja Católica, mas nunca acreditei muito nestes negócios. Simplesmente não dá para engolir que foi um indivíduo que fez este mundo onde estamos pisando. Acredito mais na Teoria do Big Bang, pois, além de ser mais lógica, ela pode ser questionada, isto é, se realmente é verdade ou não.
Devido a esta curiosidade, renunciei, não sigo mais estes pensamentos. Não até achar as respostas. Se for comprovado a mim, cientificamente, sem as palavras enroladas e repetitivas de bíblias, e pessoas com cegueira religiosa, mostrar fatos convincentes, e que façam sentido, aí já é coisa a se pensar…

O Big Bang é a teoria científica que o universo emergiu de um estado extremamente denso e quente há cerca de 13,7 bilhões de anos. A teoria baseia-se em diversas observações que indicam que o universo está em expansão de acordo com um modelo Friedmann-Robertson-Walker baseado na teoria da Relatividade Geral, dentre as quais a mais tradicional e importante é relação entre os redshifts e distâncias de objetos longínquos, conhecida como Lei de Hubble, e na aplicação do princípio cosmológico.

Mas como estou aqui para falar sobre o assunto em questão….

De acordo com o pastor, o rapaz está possuído pelo demônio, e pelos pertences pelos quais possui o simbolo da Maçã da Apple, e devido a isto, o rapaz está com grandes problemas financeiros.

Ledo engano. Se o rapaz está com problemas financeiros, isto é apenas impulso por adquirir tecnologias mais novas, pelas quais ele deve controlar.
Somos todos responsáveis por nossos atos. O fato de uma pessoa entrar em problemas, seja financeiros, convivência, emocionais, profissionais, foi através de escolhas que o indivíduo em si tomou. Não vamos confundir “Produtos do Dêmo” (ou tentativas de pessoas crentes em algum ser místico, tipo Deus, Buda, e por aí vai, para ganhar a famosa Fama de 5 minutos) do que impulso de aquisição.

A quem deseje consultar o link, está disponível aqui

Agora, sua opinião, o que você acha sobre o assunto?

Onde estou?

Você está navegando atualmente a Ceticismo/Ateismo categoria em De tudo um pouco (da vida do Gustavo)...